Glossário

  • Fossa craniana média

    A fossa craniana média ume parte da cavidade intracranialdo crânio constituída por partes dos ossos esfenóide e temporal.

  • Cerebelo

    O cerebelo é a parte do encéfalo responsável pela manutenção do equilíbrio e postura corporal, controle do tónus muscular e dos movimentos voluntários, bem como pela aprendizagem motora.

  • Congenita

    Doenças congênitas são aquelas adquiridas antes do nascimento ou até mesmo depois do mesmo, no primeiro mês de vida, seja qual for a sua causa. Dentre essas doenças, aquelas caracterizadas por deformações estruturais são denominadas anormalidades.

  • Craniotomia

    abertura do crânio através da remoção do osso.

  • Disestesia

    Parestesia anormala dolorosa (sensação anormal)

  • Dura-mater

    A mais externa, é espessa, dura e fibrosa, protegendo o tecido nervoso do ponto de vista mecânico. Não apresenta irrigação sanguínea. Na zona do crânio está aderente aos ossos, enquanto na coluna vertebral é deles separada por uma camada de gordura.

  • Efeito de massa

    O efeito de massa desloca as demais estruturas cerebrais, causando diversos sintomas, como desvio das estruturas da linha média, e deslocamento posterior dos ventrículos laterais, aumenta a pressão intracraniana.

  • Endocrinopatia

    Desequilibrio de hormonios.

  • Endoscopia

    Endoscopia, significa olhar dentro. Trata-se de uma especialidade médica que se ocupa de obter imagens médicas diagnósticas utilizando-se de um endoscópio. O endoscópio é um aparelho que consta basicamente de uma fonte de luz e alguma forma de visualização da imagem. São consideradas endoscopias.

  • Fissura interhemisferica

    O cérebro é formado pelos dois hemisférios cerebrais, que por sua vez são separados de forma incompleta por uma grande fenda chamada fissura longitudinal do cérebro ou inter-hemisférica.

  • Espaço subaracnóide

    Entre a membrana aracnóide e a pia-máter está a cavidade (espaço subaracnóide) também chamada de cisterna aracnóide, onde circula o líquido cefalorraquidiana (líquor).

  • Fossa media

    A fossa craniana média ume parte da cavidade intracranialdo crânio constituída por partes dos ossos esfenóide e temporal.

  • Fossa posterior

    A fossa cranial posterior é ume parte da cavidade intracranial constituída por partes dos ossos occipital e esfenóide aloja o cerebelo e tronco encefálico.

  • Fissura silviana

    O lobo frontal é separado do temporal pela fissura silviana.

  • Hidrocefalia

    O líquido cefaloraquidiano (líquor) é produzido constantemente dentro dos ventrículos cerebrais. Em pessoas normais, o líquor normalmente flui através de vias de um ventrículo ao próximo, e então para fora do cérebro, descendo para a medula . Se as vias de drenagem do líquor forem obstruídas em algum ponto, o fluído se acumula nos ventrículos do cérebro, causando neles um inchaço - resultando na compressão do tecido ao redor. Em bebês e crianças, a cabeça se alargará; em crianças mais velhas e adultos, o tamanho da cabeça não aumenta porque os ossos que formam o crânio já estão completamente unidos.

  • Invaginação

    s.f. Medicina Dobramento de um órgão cavo sobre si mesmo, como um dedo de luva revirado: a invaginação do intestino causa sua oclusão.

  • Líquido cefalorraquidiano

    O Cérebro, bem com o restante do sistema nervoso central, é protegido suplementarmente contra lesão pelo líquido cefalorraquidiano, também chamado de líquor. Este circula através da cavidade (espaço subaracnóide), em torno do cérebro e da medula espinal.

  • Medula Oblonga

    Medula oblonga, ou bulbo é um componente do tronco encefálico, juntamento com outros órgãos como o mesencéfalo e a ponte, que estabelece comunicação entre o cérebro e a medula espinhal. É um órgão condutor de impulsos nervosos.

    Relaciona-se também com funções vitais como a respiração, os batimentos do coração e a pressão arterial, e com alguns tipos de reflexos como mastigação, movimentos peristálticos, fala, piscar de olhos, secreção lacrimal e vômito.

  • Membrana aracnoide

    Com localização intermédia, esta é a mais fina das meninges e também não é irrigada pelo sangue. Esta é a membrana responsável pela produção do líquido cefalorraquidiano, que banha todas as cavidades do S.N.C., protegendo de pancadas e permitindo a distribuição da pressão e impedindo a fricção com os ossos. Ela é denominada aracnóide devido ao seu delicado arranjo em forma de teia de aranha de fibras colágenas e elásticas.

  • Meninges

    O sistema nervoso é envolto por membranas conjuntivas denominadas meninges que são classificadas como três: dura-máter aracnóide pia-máterA inflamação das meninges é conhecida como meningite.

  • Neuroendoscopia

    A neuroendoscopia é uma nova área em desenvolvimento da neurocirurgia que busca minimizar o tamanho da ferida cirúrgica com o mesmo resultado.A neuroendoscopia utiliza um pequeno telescópio e câmera de vídeo de alta resolução para ver dentro do crânio, cérebro e espinha. A neurocirurgia menos invasiva tem as inúmeras vantagens de uma pequena incisão e mínimo trauma para o cérebro ou coluna vertebral.

  • Parestesia

    Parestesias são sensações cutâneas subjetivas (ex., frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.

  • Pia-mater

    A membrana mais interna, é também muito fina e aderente a todas as voltas do Sistema Nervoso Central (SNC).Esta é a única membrana vascularizada, sendo a responsável pela barreira sangue-cérebro.

  • Ponte

    Faz parte do sistema nervoso central e retransmite informações entre o cerebelo e o telencéfalo. Além disso contém os centros pneumotáxicos que ajudam a regular a respiração.

  • Região supraselar

    A região que fica acima da glândula hipófise. A hipófise situa-se no interior da caixa craniana, numa depressão óssea chamada sela túrcica.

  • Sela

    A região da sela túrcica (ou sela turca) : cavidade óssea do crânio. Esta cavidade localiza-se na linha média para trás do nariz.

  • Ventriculos

    O líquor circula no cérebro e medula espinhal através de cavidades especiais que constituem o chamado sistema ventricular. As cavidades são designadas como dois ventrículos laterais, o terceiro ventrículo e o quarto ventrículo. Comunicando os ventrículos laterais com o terceiro ventrículo encontram-se os forames ventriculares (um em cada hemisfério cerebral), enquanto o aqueduto de Sylvius comunica o terceiro ventrículo, situado no diencéfalo, com o quarto ventrículo, situado no rombencéfalo. Em cada uma das quatro cavidades ventriculares evagina-se um plexo vascular, responsável pela produção do líquor (o plexo coróide).